Como fazer remarketing no Facebook? – Aprenda passo a passo

Como fazer remarketing no Facebook? Quais são os passos necessários a serem seguidos para conseguir efetuar remarketing na rede social? Existe um passo a passo que podemos seguir e conseguir efetuar o remarketing no Facebook com maior eficácia? O que fazer? Como se faz gestão de tráfego? No conteúdo de hoje, vamos explicar a você em detalhes como fazer remarketing no Facebook. Leia conosco e saiba mais, vamos lá!

Como fazer remarketing no Facebook?

Afinal, como fazer remarketing no Facebook? Claro, se você já foi para sua conta de gerenciamento de publicidade do Facebook para procurar o botão “Remarketing”, acreditamos que esteja desapontado.

Ao contrário do Google, o Facebook não fornece nenhuma ferramenta explicitamente dedicada ao remarketing. No entanto, o fato é que o remarketing no Facebook pode ser feito, e também de uma forma muito mais eficaz – em alguns aspectos – do que pode ser feito no Google.

De fato, o marketing no Facebook permite que você aproveite inúmeras vantagens que nos são parcialmente negadas pelo Google, como:

  1. A capacidade de refazer o remarketing independentemente do dispositivo usado por nosso usuário-alvo;
  2. A possibilidade de trabalhar na lista de remarketing, buscando otimizar a campanha de remarketing e direcioná-la com mais precisão para um target específico;
  3. A possibilidade de ampliar o target inicial, solicitando ao Facebook que construa uma lista de usuários que tenham as mesmas características socioculturais e demográficas daqueles que visitaram nosso site ou visualizaram uma página específica;
  4. A possibilidade de avaliar o desempenho de nossas campanhas de remarketing segmentando o target utilizado de acordo com suas características peculiares.

Um remarketing em vários dispositivos

Como fazer remarketing no Facebook? Criar uma lista de remarketing no Facebook é uma operação relativamente simples: você cria um novo público, associa um pixel de monitoramento a esse público, e pronto: todo usuário logado no Facebook que entrar no seu site será cadastrado e colocado na sua lista de remarketing.

A operação obviamente envolve – em comparação com o remarketing normal usando o código de rastreamento do Google Analytics – algumas limitações e muitas vantagens indiscutíveis.

A maior limitação do remarketing no Facebook é a impossibilidade substancial de segmentar o público com base em suas características comportamentais.

Em suma, não poderemos criar clusters com base na origem do tráfego ou em características como a taxa de rejeição ou o número de páginas visitadas. No momento, o único segmento possível em termos de navegação é construir filtros com base na URL das páginas visitadas.

Resumindo, poderemos agrupar e isolar apenas os usuários que visitaram uma página que contém uma ou mais strings de texto em sua URL. Nada mais do que isso.

Contra esse limite (que na verdade não é pequeno), a vantagem mais importante desse tipo de campanha está em seu recurso entre dispositivos. As listas de remarketing do Facebook são de fato disponibilizadas para todos os tipos de campanhas e para todos os dispositivos.

Isso significa que poderemos promover apenas em telefones celulares, por exemplo, de uma audiência composta por usuários que visitaram nosso site a partir de um desktop, ou vice-versa – com os benefícios óbvios do caso.

Seleção e segmentação

Um segundo aspecto interessante de usar as listas de público-alvo de remarketing do Facebook é a capacidade de tratar essas listas como qualquer outra lista de público-alvo salva.

Basicamente, podemos partir de listas de remarketing para criar campanhas específicas em um público de remarketing ainda mais segmentado com base em suas características pessoais, geográficas ou comportamentais.

Um exemplo? Imagine ter um blog que produz muito tráfego, pois trata de temas interessantes e alinhados com seu público. Imagine que este blog está relacionado a uma empresa que possui vários escritórios ou agências territoriais, e que apenas algumas dessas agências propõem ofertas específicas por tempo limitado.

Através do uso de listas de remarketing correlacionadas com segmentação geográfica, será possível promover as ofertas apenas no alvo realmente online, maximizando o resultado.

Segmentação de público semelhante

Um recurso adicional do Facebook permite que você trabalhe a partir de listas de remarketing (leia-se: do público que visitou seu site em um período pré-determinado) para criar uma lista, cujos membros se caracterizam por terem perfis comportamentais e sociais.

A criação de públicos semelhantes – como esse recurso é chamado no Facebook Ads – é um recurso muito importante do Facebook. Infelizmente muitas vezes subutilizado pelos anunciantes.

Aprender a usá-lo, escolhendo com cuidado (e sem exagerar) os percentis nos quais focar as campanhas, pode se tornar uma importante vantagem competitiva sobre os concorrentes que usam o Facebook de forma mais “amadora” e menos fundamentada cientificamente.

Análise de desempenho

Em suma, existem muitas formas de gerir uma campanha de remarketing no Facebook, e a sua eficácia dependerá, sobretudo, da sua capacidade de trabalhar de imediato com vista à otimização progressiva.

Como todas as campanhas de marketing, de fato, nem mesmo as campanhas de remarketing garantem o sucesso imediato, mas só poderão ter sucesso eficaz após a aplicação de uma estratégia de otimização que se baseia, entre outras coisas, na busca dos segmentos com melhor desempenho em termos de taxa e valor econômico de conversão.

Sem essa estratégia, de fato, até mesmo uma técnica eficaz como remarketing no Facebook poderia se tornar um buraco na água. E então, aprendeu a como fazer remarketing no Facebook? Comente abaixo. Até a próxima!

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco + onze =