Quer diminuir seus gastos pessoais? Veja essas dicas!

Mesmo que a gente se esforce, muitas vezes é difícil reduzir os nossos gastos pessoais, não é mesmo? 

Para ter sucesso nesta jornada, é essencial fazermos um planejamento financeiro pessoal conciso que nos permita quitar dívidas e até investir nosso dinheiro a longo prazo.

Pensando nisso, fizemos este texto com dicas para ajudar você a cortar custos e conseguir ajustar as suas finanças na crise.

Como o planejamento financeiro te ajuda a economizar

O planejamento financeiro ajuda você a economizar porque você consegue enxergar onde estão os seus maiores custos e como fazer para alcançar os seus objetivos.

Você pode achar que tem um gasto alto com restaurante e, quando vai checar, percebe que acaba tendo uma despesa maior com carros de aplicativos. Esse controle mostra a você onde estão os seus erros para que você consiga criar metas e acompanhar os resultados delas ao decorrer do mês.

Veja 5 dicas para diminuir gastos pessoais

Assim, preparamos 5 dicas práticas para você conseguir reduzir os seus gastos pessoais através do planejamento financeiro pessoal.

Defina metas de gastos

Comece definindo metas de gastos. Supondo que você tenha uma despesa de R$3.000 mensais e isso esteja gerando dívidas, foque em reduzir este gasto para R$2.500, por exemplo.

Mas, saiba exatamente de onde você vai tirar cada quantia para que o seu planejamento financeiro dê certo. Neste cenário de economia de R$500,00, você pode definir reduzir R$200,00 com restaurantes, R$200,00 com compras e R$100,00 com lazer, por exemplo.

Assim, separe os seus custos por categorias para perceber onde se concentram os seus maiores gastos e que tipo de despesa vale a pena você reduzir.

Parcele compras apenas quando vale a pena

Parcelar compras pode ser uma tentação. Uma blusa de R$120,00 vira apenas R$12,00 quando parcelada em dez vezes, não é mesmo?

Isso é um erro. Você não sabe como estará sua situação financeira depois de alguns meses e pode ter dificuldade de pagar essas parcelas, principalmente quando elas se acumulam e viram um valor alto.

Por isso, procure apenas parcelar compras quando isso vale a pena. Alguns casos são quando há benefícios como cashback, descontos ou até milhas. 

Além disso, a compra também pode valer a pena ser parcelada quando não se obtém nenhum desconto no pagamento à vista. Desse modo, é possível pagar com o cartão de crédito e deixar o valor reservado em uma conta digital remunerada, por exemplo.

De olho nos gastos invisíveis

Também tenha muita atenção aos gastos invisíveis, aqueles que acabamos esquecendo de considerar, mas que estão presentes nas nossas despesas mensais.

É o caso da anuidade do cartão de crédito, por exemplo, ou de outras taxas que você paga ao seu banco. 

Atualmente, com a alta oferta de instituições financeiras, você pode negociar essas taxas e pedir isenção, principalmente quando você é um bom pagador ou tem um relacionamento a longo prazo com o seu banco.

Sempre compare antes de comprar

Esta dica parece óbvia, mas é muito importante comparar antes de comprar. Muitas vezes, vamos às nossas lojas preferidas e fazemos compras lá automaticamente sem nem pesquisar preços antes.

Mas, mesmo que você ache que já frequenta a loja mais barata, é importante antes de comprar porque outros estabelecimentos também fazem promoções ou mudam a estratégia de venda.

Quando falamos em e-commerce, é mais fácil ainda fazer essa pesquisa porque você nem precisa sair de casa, basta fazer uma busca online e em alguns minutos você já encontra a melhor opção.

Se livre das dívidas

Por fim, esforce-se para conseguir se livrar das dívidas. Considere-as em seu planejamento financeiro como prioridade. Além disso, converse com a sua instituição financeira para reduzir valores ou aumentar prazos.

Outra forma é procurar empresas que oferecem esse serviço. Atualmente é possível negociar sua dívida online, conseguindo consideráveis descontos.

Outra forma é através de um empréstimo online. Mas cuidado, essa opção só é recomendada quando as taxas do empréstimo são menores do que as da dívida em si, por isso é preciso sempre comparar.

Existem alguns métodos que ajudam você a quitar suas dívidas. Você pode testar algumas opções até encontrar a que funciona melhor para você.

Porém, concentre-se em pagar, primeiramente, as dívidas com maiores juros. Elas são as mais perigosas que podem virar uma bola de neve.

Incorpore novos hábitos

Para que tudo o que comentamos traga resultados, você precisa mudar os seus hábitos e transformar essas ações não apenas em um momento pontual, mas parte do seu dia a dia.

Ou seja, esteja sempre cortando despesas excessivas, se esforçando para quitar as suas dívidas, elaborando orçamentos de acordo com a sua realidade e buscando investir o seu dinheiro quando possível.

Considerações finais

O objetivo deste texto foi ajudar você com dicas de como reduzir os seus gastos pessoais para não ter problemas com as finanças na crise.

Assim, coloque os ensinamentos na prática e faça deles um hábito para conseguir economizar de fato a longo prazo, e não em momentos isolados de aperto financeiro.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.