O que muda no processo de cidadania italiana em 2022

Com o ano novo e suas mudanças, a cidadania italiana em 2022 entra em pauta. Para um processo importante como esse, é sempre bom revisar algumas informações.

Afinal, a dupla cidadania permite uma gama de vantagens para os que querem viajar, estudar e trabalhar na Itália.

Inclusive, ninguém quer ter sua solicitação negada. Estudar o tema é garantir que nenhuma causalidade aconteça.

Se você está curioso sobre o tópico, continue lendo o texto a seguir.

Nele, explicamos mais sobre o processo de dupla cidadania e também detalhamos o processo.

Quem pode ter dupla cidadania italiana em 2022?

Antes de começarmos a elaborar sobre a cidadania italiana em 2022, precisamos saber mais sobre quem pode tê-la.

Com base nas leis da Itália, uma pessoa que descende de italianos também pode ser considerada um italiano.

Porém, essa cidadania precisa ser aprovada pelo governo italiano, por meio de documentos.

Arquivos estes que comprovam o parentesco do requisitante da cidadania com seu descendente.

Com essa papelada embasando o jus sanguinis (direito de sangue), não haverá mais problemas para a cidadania ser aprovada.

A Itália, por sua vez, não limita um número de gerações para o processo.

O Brasil recebeu um grande número de imigrantes italianos durante o final do século 19 e começo do 20.

Logo, essa não-limitação de parentesco ajuda no processo.

Quais são os caminhos para a cidadania italiana em 2022?

Por agora, com o processo de dupla cidadania explicado, é preciso saber que caminhos você poderá tomar para consegui-la.

Existem 4 opções para iniciar o processo, são elas as vias materna, administrativa, judicial e comune.

Abaixo, explicaremos como cada uma delas funciona:

Cidadania via ascendência materna

De início, antes de 1948, a Constituição Italiana não previa que mulheres pudessem transmitir sua cidadania.

Porém, a partir dos anos 40, isso mudou e, agora, essa lei já não tem a mesma validade.

Mesmo assim, caso o ancestral seja feminino, a verificação é importante.

Outros imbróglios envolvendo datas também podem acontecer.

Por exemplo, caso o antepassado tenha nascido antes de 1861, problemas podem ocorrer.

Isto é, o país que deu origem a atual Itália, o Reino da Itália, só foi unificado neste ano citado.

Nos dois casos, se acontecer, é possível recorrer na justiça para que a cidadania seja reconhecida.

Cidadania italiana via consulado

A cidadania italiana via consulado continua sendo, em 2022, a via mais barata para se conseguir a dupla nacionalidade.

Logo, também é o método mais utilizado, o que faz com que a demora seja também maior.

Nela, é protocolado um pedido no consulado italiano no Brasil para que a cidadania seja reconhecida.

No processo, é preciso entregar uma série de documentos, citados anteriormente, para embasar a ancestralidade.

Cidadania italiana via comune

Por sua vez, a via comune é uma alternativa que precisa de um relativo investimento, porém, é mais efetiva.

Nela, o processo será realizado diretamente na Itália, com o requisitante morando em alguma cidade italiana.

Geralmente, ela é a opção favorita dos que querem a dupla cidadania para poder morar em território italiano.

Apesar de poder ser feito sozinho, é recomendável optar pela ajuda de uma assessoria de imigração para que nada saia errado.

Esse auxílio privado organizará as documentações e também a entrega de arquivos.

Cidadania italiana via judicial

Também precisando de investimento, a cidadania italiana via judicial, você contrata um advogado italiano para lidar diretamente com o processo.

Ele dará entrada no processo diretamente no Tribunal de Roma, ou seja, logo com o governo italiano.

Não é preciso estar na Itália neste caso, ao contrário da via comune.

Você pode deixar o processo na mão também de profissionais da área da imigração, que cuidarão do caminho.

Com os documentos necessários em mãos, não haverá problemas para que o auxílio corra bem.

Inclusive, o processo pode ser acompanhado online no site do Ministério da Justiça italiano e com um número de protocolo.

Naturalização por casamento

Finalmente, a naturalização por casamento também é possível.

Neste caso, o requisitante precisa estar casado com um cidadão italiano e terá de aguardar 3 anos para ter seu reconhecimento aprovado.

Outros requisitos são a documentação e o certificado de fluência em italiano B1.

Esse documento comprovará que o requisitante tem um nível de comunicação intermediário de italiano.

Quais documentos são necessários para tirar a cidadania italiana em 2022?

A cidadania italiana depende de algumas burocracias, a entrega de documentação é uma delas.

Lembre-se que para tirar cidadania italiana em 2022, é preciso revisar a lista de documentos, para que não aconteçam imprevistos.

Ressaltamos que esta não é uma lista completa de documentações, apenas os principais que são pedidos regularmente:

  • Certidão de nascimento do seu ancestral;
  • Certidões da linha de descendência que ligam você ao ancestral italiano;
  • Certidões de casamento de todos da linha de descendência;
  • Certidões de óbito do ancestral italiano;
  • Certidão negativa de naturalização do antepassado;

Caso tenha mais dúvidas sobre documentação, entre em contato com um consulado para ter uma lista mais completa. Se você não tiver tanto tempo para reunir toda essa papelada, opte por contratar uma assessoria especializada.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.