CDB: o que é e para que serve? Como investir nesse ativo? Qual o seu rendimento

O CDB é um dos investimentos mais conhecidos por quem opta pela renda fixa. Por ser considerado seguro, de fácil acesso e ainda apresentar rentabilidade acima da poupança, ele costuma ser uma escolha de investidores de todos os perfis na hora de diversificar a carteira.

Mas, o que é e para que serve o CDB? Qual a sua rentabilidade? E sua tributação?

Antes de investir, é necessário analisar e conhecer com maior profundidade o ativo desejado. Afinal, toda aplicação deve ser estudada e acompanhada, por mais segura que ela seja.

Para ajudar a entender tudo sobre o Certificado de Depósito Bancário, leia este texto e descubra para que serve o CDB, se vale a pena realizar esse tipo de investimento, qual é a sua rentabilidade, suas tributações e suas categorias.

Boa leitura!

O que é e para que serve o CDB?

O CDB, sigla que se refere ao Certificado de Depósito Bancário, é uma das categorias de investimento de renda fixa.  Sua atratividade se dá por ele ser mais rentável do que a poupança.

A taxa de rentabilidade do CDB varia de acordo com o banco emissor, assim como seu prazo de vencimento, período de carência e valor mínimo de aplicação. Veremos tudo isso mais adiante!

Mas, afinal, o que é e para que serve o CDB? Ele é um título emitido pelos bancos ou outras instituições financeiras para captar fundos e pagar dívidas, investir no próprio negócio e em projetos, entre outros.

Existem três tipos de CDBs que apresentam rendimentos variados:

  • prefixado: o investidor sabe qual é a taxa de retorno antes da compra;
  • pós-fixado: a taxa de rentabilidade é atrelada a algum índice, como o CDI (Certificado de Depósito Interbancário);
  • híbrido: quando o retorno se baseia em uma taxa fixa somada a outro índice variável. Ou seja, ele agrupa o prefixado e o pós-fixado.

Outro detalhe importante sobre o CDB é que ele é protegido pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Caso a instituição financeira não possa arcar com os custos de pagamento aos investidores, esse fundo cobre até R$250 mil por CPF ou CNPJ. 

Fique atento: se você tiver aplicações em outros títulos que são cobertos pelo FGC, preste atenção no somatório total deles. O FGC possui um teto para a cobertura anual em caso de calote: R$1 milhão, que é renovável a cada 4 anos.

Vantagens do CDB

Uma das maiores vantagens do CDB é a segurança: ele possui estabilidade e é coberto pelo FGC caso algum imprevisto aconteça.

Outro ponto que podemos destacar é a boa rentabilidade, principalmente se compararmos com o retorno oferecido pela poupança. Por exemplo, um CDB pode ter taxa de retorno acima de 100% do CDI.

É muito mais vantajoso deixar o seu dinheiro rendendo no CDB do que na caderneta.

Entendeu para que serve o CDB? Confira agora quais são os outros benefícios desse tipo de ativo:

  • facilidade de acesso: o investimento em CDB pode ser feito com pequenas quantias;
  • diversificação: ele pode ser um aliado na hora de diversificar a sua carteira de ativos, mantendo o equilíbrio e a segurança dos seus investimentos. Caso alguma aplicação em renda variável sofre com oscilações do mercado, a do CDB se mantém mais estável;
  • liquidez: as opções de CDB apresentam maior flexibilidade e variedade de liquidez. Se você não puder esperar até a data do vencimento, pode optar por um ativo com liquidez diária.

Normalmente, os CDBs que são emitidos por instituições de menor porte costumam oferecer taxas de rendimento maiores. Assim como os que têm prazo de vencimento mais longos, geralmente possuem uma melhor rentabilidade.

Desvantagens do CDB

Ao entender o que é e para que serve o CDB, é possível perceber que há também algumas desvantagens, assim como a maior parte dos investimentos da bolsa de valores.

Uma delas é a tributação. Ele pode ter o desconto do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) caso você precise sacar o dinheiro antes de 30 dias, contados a partir da data da aplicação.

Além disso, há a cobrança de Imposto de Renda na fonte. Ou seja, no momento em que você pedir o resgate do dinheiro ou o prazo de vencimento se esgotar, haverá um desconto progressivo do IR:

  • até 180 dias: 22,5%;
  • de 181 a 360 dias: 20%;
  • de 361 a 720 dias: 17,5%;
  • mais de 720 dias: 15%.

Logo, prazos de vencimentos mais longos terão menos tributos descontados.

A outra desvantagem é o resgate. Ele só pode ser feito na data de vencimento, que varia de três meses a cinco anos. Caso você realize o pedido de cotização antes, haverá perda da sua rentabilidade.

Há ainda o prazo de carência, que é o período em que o CDB não pode ser resgatado. Ele varia de acordo com o ativo.

Como investir em CDB?

O investimento nesse tipo de ativo é bastante simples. Afinal, ao saber o que é e para que serve o CDB, entende-se que, por ser da classe de renda fixa, o funcionamento dele é descomplicado.

Antes de pensar em iniciar a sua jornada no mundo dos investimentos, analise as corretoras disponíveis e inscreva-se. Depois, é só realizar o teste de perfil de investidor e transferir o dinheiro para a sua conta na corretora.

A transferência precisa ser feita de uma conta bancária com a sua titularidade. 

O próximo passo é estudar quais títulos são adequados para o seu objetivo e perfil de investidor. Por exemplo, se você for conservador, não é indicado aplicar dinheiro em ações ou em fundos de investimentos, pois apresentam alta volatilidade e risco maiores.

Por existirem opções variadas de CDBs para investir, é importante estudar cada uma delas e realizar simulações para ver qual é a mais vantajosa dentro da sua estratégia.

A simulação pode ser feita diretamente no site da sua corretora ou então pela Calculadora do Cidadão, ferramenta gratuita disponibilizada pelo Banco Central.

Exemplos de investimentos em CDB

Agora que já falamos tudo o que você precisa saber sobre o que é e para que serve o CDB, veja alguns exemplos na prática. Os valores apresentados são hipotéticos, apenas para você entender como funciona o investimento em CDB.

  • aplicação de R$10 mil em um CDB com prazo de vencimento de três anos. Como o período de aplicação fica acima de 720 dias, o desconto do IR será o percentual mínimo de 15%. A valorização final é de R$8.500, ao subtrair R$1.500 (15% de IR).
  • investimento de R$5 mil em um CDB com vencimento de cinco meses. A alíquota do IR nesse caso é a maior, de 22,5%. Logo, a valorização final fica de R$3.875.
  • aplicação de R$1 mil em CDB pós-fixado com retorno de 127% do CDI, com vencimento de quatro anos. O resgate final fica com valor líquido de R$1.207,83, com o desconto do IR.

Entendeu o que é e para que serve o CDB? Quer sair da poupança e investir em renda fixa? Aumente seu patrimônio com mais segurança e tranquilidade e comece a fazer o seu dinheiro trabalhar por você!

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.